As marcas da Repressão

acorrentda

Trabalhando na área da Sexualidade, escuto de tudo um pouco, afinal é o meu trabalho! Mas algo que não é debatido atualmente são as problemáticas individuais, que afetam os relacionamentos.

A sociedade tem uma visão errônea da banalização da sexualidade, acham que é hoje está mais simples a temática, o sexo só aparece mais, por que “vende mais”, no entanto as problemáticas em torno dele só ficam mais complexas.

Algumas semanas saiu uma publicação de um jornal virtual com relatos de mulheres falando sobre a Cultura da Pureza nos E.U.A e lendo percebi que essa cultura encontra-se tão pertinente aqui no Brasil também, não é de hoje que atendo no meu consultório inúmeras mulheres aprisionadas por esse medo patológico do sexo!

Por que eu digo patológico? Porque se te traz sofrimento e dor além do usual e que não diminui com o tempo não está nos parâmetros saudáveis. Nada contra o movimento brasileiro Eu Escolhi Esperar, podem esperar, mas com consciência do que é o sexo, colocar uma venda, reprimir, intimidar só piora o aspecto emocional e psicológico da sexualidade. É dizer para essas mulheres “fique longe, tenha medo, é nojento” a vida inteira, mas na preparação para o casamento “seja uma leoa na cama, faça o que o seu marido quiser entre quatro paredes” e esperam que o casamento seja “feliz para sempre”! Como? O leão do marido vai encontrar no máximo uma esposa zebra, quanto mais ele quiser, mais ela irá correr.

Isso falando apenas do aspecto relacional, agora adentrando os aspectos físicos e emocionais, de toda a repressão os resultados são catastróficos, aparecem problemas de Vaginismo, Dispareunia, Anorgasmia, Ansiedade, Depressão e muitos outros. Não é a toa que o timing entre o homem e a mulher nunca estão em sincronia.

O que mais vejo atualmente são os movimentos religiosos criando encontros de casais para trabalhar alguns aspectos do relacionamento, acho bacana e importante, mas tão importante quanto trabalhar o aqui e agora é trabalhar a prevenção.

Falar sem receios as dores e prazeres do que envolve a sexualidade, os relacionamentos e as problemáticas. E não, falar sobre sexo, não o torna banal, o torna leve e mais prazeroso. Sexualidade faz parte da vida de todos os seres humanos não temos como fugir e reprimir não é um caminho saudável.. Por que essa dívida vai ser paga num futuro não muito distante!

E para quem gostaria de ler a matéria que inspirou esse texto, segue o link…

Minha Criação Evangélica quase acabou com a minha vida sexual

Gostou do texto? Deixe seu comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s