Textos

Mas o que é sexualidade? É de comer?

My Post (8)

Para iniciar os meus escritos nesse site vamos começar do início mesmo. Nas palestras que eu faço eu sempre pergunto o que é sexualidade e sempre escuto um: cri.. cri.. cri..

Poucos conseguem mensurar o real conceito de sexualidade sem pensar em sexo, então logo que falo o letreiro pulula SEXO, quando na verdade o termo é muito mais abrangente que isso, por exemplo, segundo a Organização Mundial da Saúde, sexualidade é:

Aspecto central do ser humano, que engloba sexo, identidade, papel de gênero, orientação sexual, erotismo, prazer, intimidade e reprodução. 

Já o Parâmetro Curricular Nacional da Educação diz que:

É algo inerente a vida e a saúde, que se expressa no ser humano, do nascimento até a morte. É o direito ao prazer e ao exercício da sexualidade com responsabilidade.

E para finalizar a contextualização, o filósofo Michel Foulcault, que escreveu a trilogia “Historia da Sexualidade”, explica que a sexualidade:

É uma pulsão ou necessidade natural do ser humano, mas que complicamos através do biopoder, onde  cria uma sexualidade na qual se pode e deve intervir, que é induzida por discursos produzidos em geral na área médica (psiquiatria) e na área da psicanálise.  O poder, tal como Foucault o analisa, produz discursos de verdade pelos quais somos julgados(as), condenados(as), classificados(as), obrigados(as) a tarefas, destinados(as) a certa maneira de viver a sexualidade.

Então, de tudo isso conceituado até agora, você ainda acha que a sexualidade refere-se unicamente ao SEXO? A sexualidade vai muito além, faz parte da forma como nos relacionamos com os outros, com o nosso meio, o que sentimos e pensamos no decorrer de nossa vida. E por não sabemos de algo, que vocês virão que não é um bicho de sete cabeças, acabamos sendo manipulados pelas crenças dos outros, o que o outro acredita, o que o outro quer, o que o outro acha certo, quando devemos criar uma consciência critica do que queremos pra si! A pergunta que deve ser feita não é o que o outro pensa ou quer, mas sim: O que eu quero? O que eu penso? O que desejo? Eu me conheço?

Tudo isso envolve a sexualidade, pois quando temos as respostas não deixamos o outro impor os seus limites acima do nosso. E uma sexualidade saudável faz toda diferença nos relacionamentos. Por isso, combatemos a ignorância com informação, só assim teremos uma sociedade mais humana, empática e com saúde emocional!

Referência

JACOB, J.; ARCARI, C. Clitori-se, Sexualidade. Rio de Janeiro, 2017.

Gostou do texto? Deixe seu comentário..

 

 

Anúncios